Dicas Outros Pedagogia 12 nov, 2018

Você sabe como se comunicar com seu filho?


Em um mundo de processadores, as crianças desconhecem o processo. É tudo pronto. Elas não sabem o caminho para chegar no destino final. E é papel dos pais reverter essa situação, pois isso pode levar o seu filho ao mal do século: as crises de ansiedade.

Crianças precisam aprender a terem mais paciência, a esperar a coisa acontecer. Nós pais, pulamos esse momento da criança e entregamos tudo pronto. Vou aqui deixar um exemplo simples, mas que ocorre em 50% das casas. Seu filho pede um sanduíche, enquanto assiste seu desenho favorito! Você faz o que? Vai ate a cozinha fazer o lanche sozinha ou  chama ele pra fazer junto com você? Se você faz o lanche sozinha, o seu filho perdeu todo o processo, ele não viu nada acontecer. E quando ele crescer, o processo vai ser sempre desconhecido aos olhos dele. Acredite: ele não saberá o que é montar um sanduíche por mais simples que isso seja.

Aqui vai outro exemplo: Ao chegar no restaurante, você já tira o iPad da bolsa para ele se distrair vendo o desenho ate a comida chegar. Cade o processo? Ele pode perder uma conversa em família. Ele pode perder momentos únicos na vida, e isso não volta mais. Quando ele estiver crescido com a família dele envolta, provavelmente estará impaciente esperando a comida chegar, reclamando com o garçom e mexendo no celular.

São essas pequenas coisas no dia-a-dia que transforma o comportamento do seu pequeno.

A impaciência também atrapalha a vida dos pequenos. Mas você pode cortar esse mal pela raiz. Veja como!

1. Não deixe seu filho te interromper

Em “Crianças francesas dia a dia” (Editora Fontanar), a jornalista americana Pamela Druckerman vai direto ao ponto: “não deixe seu filho interromper você”. Isso faz parte do conceito-chave da criação francesa: você tem que ensinar o pequeno a ter paciência, assim como ensina o alfabeto ou a andar de bicicleta. Se, por acaso, ele te interromper, diga: “estou no meio de uma conversa, já falo com você”.

2. Evite falar sobre as datas especiais

“O Natal está chegando”, “Calma, logo vamos comemorar seu aniversário”… Se seu filhote é muito impaciente, o ideal é não anunciar o que vai acontecer com muita antecedência. Já com os maiores, use o calendário. Ele ajudará a entender a passagem do tempo.

3. Fuja das pequenas mentiras

No carro, seu filho pergunta a cada minuto se falta muito para chegar? Seja honesta. Não diga “é rapidinho” ou “já estamos chegando” se não for verdade. Não adianta mentir se o trajeto é longo e ainda falta muito para cumpri-lo. É muito raro um pai que nunca use desses artifícios, mas, os especialistas concordam que por mais inofensiva que pareça a mentira, isso aumentará a ansiedade da criança.

4. Demore mais para responder

Toda vez que seu filho chama, você para tudo o que está fazendo para atendê-lo naquele momento? Evite fazer isso! Demore um pouquinho para atender o desejo dele. Toda criança “testa” os pais para ver até onde pode ir. Se você não impõe limites, ela se sente dona da situação. E pode, com o tempo, apelar para a chantagem emocional. Diga com delicadeza que você não pode, por exemplo, parar de cozinhar para sentar e brincar. Mostre gentilmente que o que você está fazendo também é importante.

5. Dê o exemplo. Seja paciente!

Já ouviu o ditado “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”? Pois é, ele é mais verdadeiro do que você imagina. De que adianta pedir a seu filho esperar se você quer tudo pronto na hora? Reflita sobre isso!

 

 

Espero que tenham gostado!

Apliquem essas ideias em casa e vão ter resultados ótimos, e filhos menos agitados e pacientes!

Beijos

Carima

postado por

Carima

Pedagogia 25 jul, 2018

Colocando limites – Um hábito necessário


     Os filhos não podem fazer o que querem é quando querem.

As crianças aprendem a partir de imitações, que é sem dúvidas a forma mais efetiva de aprendizagem. São as experiências do dia a dia que vão traçar a personalidade, os hábitos e o comportamento da criança.

A partir desse aprendizado do dia a dia, as crianças criam expectativas, e o mundo se torna pequeno para tantas descobertas! E é aí que o limite entra. Se os pais permitem que os filhos, por menores que sejam, façam tudo o que desejam, não estão lhes ensinando noções de limites individuais e relacionais nem lhes passando noções do que podem ou não podem fazer.

O problema é que a preguiça e o hábito de deixar tudo pra depois atrapalha essa fase da educação. Os pais usam diversos argumentos para isso: “Eles não sabem o que estão fazendo”. “São muito pequenos para aprender.” “Sabemos que não devemos deixar, mas é tão engraçadinho.” É preciso lembrar que uma criança, quando faz algo pela primeira vez, sempre olha em volta para ver se agradou alguém. Se agradou, repete o comportamento, pois entende que agrado é aprovação – e ela ainda não tem condições de avaliar a adequação do seu gesto.

É tão mais fácil dar aquele doce antes do almoço do que ter que explicar o por que de não dar, e ainda ter uma criança ranzinza e chorando por que não conseguiu aquilo que queria.

Quando a criança não consegue aquilo que quer, é gerado uma frustração. Ao evitar que nossos filhos se sintam frustrados frente a qualquer situação ou inventamos de gratificá-los o tempo todo estamos agindo de maneira equivocada. Uma maneira de favorecer o desenvolvimento integral dos pequenos é ajudá-los a assumir que na vida existem situações tanto de fracasso quanto de sucesso.

 

  • Uma criança com baixa tolerância à frustração é mais impaciente e impulsiva.
  • É mais difícil controlar suas emoções.
  • As crianças com baixa tolerância à frustração são muito exigentes.
  • Elas tentam satisfazer imediatamente suas necessidades, de modo que, na demora de seus requisitos, podem chorar facilmente e fazer birras.
  • São mais propensas a desenvolver quadros de depressão ou ansiedade frente a dificuldades ou conflitos importantes.
  • A criança possui uma reduzida capacidade de adaptação e flexibilidade.

Portanto não tenha medo (nem preguiça) de falar não, de impor limites, de frustar e de dar educação para seu filhos! A força dos pais está em transmitir aos filhos a diferença entre o que é aceitável ou não, adequado ou não, entre o que é essencial e supérfluo, e assim por diante.

 

Espero que tenham gostado do post! Querem mais assunto sobre educação? Deixem seus comentários ❤️

Brincadeiras Outros Pedagogia 05 set, 2017

Atividade Sensorial- 8 meses



Bom dia mamães!

Hoje fizemos uma atividade super legal! A posição que o Youssef menos gosta de ficar é de bruços! Alias, qualquer bebe né? Ficar de bruços exige deles uma força maior, o que logo se torna cansativo.

Mas o fato é que os bebes devem ficar de bruços! Aprender a ficar de bruços é fundamental para a própria sobrevivência do bebê. Explico: ao conseguir segurar a cabeça longe do chão, ou virar o pescoço de um lado para outro enquanto está de barriga para baixo é o que evita um possível sufocamento acidental, caso o bebê se mexa muito quando está dormindo.

Alem de que, é a posição a qual o bebe tende a dar os seus primeiroa passinhos a independencia, rolar, sentar, engatinhar e finalmente, andar!

E a brincadeira de hoje é um insentivo a tudo isso! É super fácil, só precisamos de papel contact, e alguns objetos pequenos, que atraia a atenção do seu pequeno ou da sua pequena.

IMG_20170905_101738_244

Eu escolhi materias pequenos por que é mais facil do bebe utilizar as maos, mas cuidado: devemos ficar sempre de olho por que é nessa idade que tudo vai pra boca!

IMG_20170905_102139_592

Zuzu amou, e rendeu uns 20 minutos de brincadeira! Depois sentei ele e deixei ele explirar os objetos.

Tentem em casa e me mandem feedback sobre os seus bebes, amo trocar experiencias!

 

Beijos!

Brincadeiras Dicas Pedagogia 05 set, 2017

Tinta comestível


Hoje fizemos uma das atividades que eu mais gosto: tinta!

Eu vi uma receita com farinha de trigo, porem, a tinta ficou dura, mais parecido com uma massinha! Então devidi colocar maizena e agua, 5 min no fogão e ficou ótima! Amamos!

Fazer a tinta comestivel não significa que o bebe va comer ela, significa que caso o bebe decisa explorar e colocar a mãozinha na boca, não vai ter problema.

Para colocar a cor, usei corantes! Tambem existe a possibilidade de usar gelatina de varios sabores, ou bater uma fruta, como mexerica, morango, framboesa etc.

Eu particularmente não uso esses sabores por que não quero que a tinta fique com gosto bom, por que se não a brincadeira vira alimentação hahaha!

Tirei umas fotinhos, espero que gostem!

IMG-20170904-WA0035

 

 

IMG-20170904-WA0025

IMG-20170904-WA0016

Brincadeiras Dicas Outros Pedagogia 06 ago, 2017

Estimulação: 7 meses


Ola pessoal! Todo mundo que me segue no insta ja esta cansado (literalmente) de ver eu estimulando meus pequenos, seja com atividades preparadas, brincadeiras estantâneas ou até mesmo com as atividades do dia a dia.

A estimulação, pra quem não sabe, é um conjunto de atividades aplicadas de forma sistemática e sequencialmente desde o nascimento até o ‘para sempre.’ O objetivo é desenvolver o cognitivo, físico e emocional do bebê assim será possível evitar estados indesejados no desenvolvimento dele.

A estimulação precoce ajuda a melhorar o desenvolvimento motor, desenvolvimento cognitivo e emocional do bebê, mas também deve respeitar o desenvolvimento individual e a vontade de ser tratado. As atividades devem ser concebidas para fortalecer o vínculo emocional através de massagens e estímulos sensoriais, respeitando o desenvolvimento natural da criança e do instinto dos pais.

O Zuzu esta com 7 meses ja, e eu vou listar aqui algumas atividades super legais de estimulação que eu faço com ele:

● Ervilhas: sento ele na cadeirinha de almoço, e espalho ervilhas pela mesa para ele pegar. Cozidas e bem molinhas. A atividade alem de saudavel, é super estimulante para praticar o movimento de pinça. Esse movimento é pura concentração motora fina, que vai ajudar ele a desenvolver a pratica de comer sozinho e desenhar mais pra frente.

● Bate palminha: comevei agora a bater palminhas enquanto canto musiquinhas. Dos 7 aos 9 meses, o seu filho pode começar a aprender a juntar as palmas das mãos e fazer o movimento de bater palminhas. É um sinal de que seus ombros estão se desenvolvimento de forma saudável e de que seu pequeno não tem sinais de problemas cerebrais.

● Conversar: Fale com ele sobre as coisaa conforme o bebê faz acontecer. Você vai ajudá-lo a entender o conceito de ação e reação. ”Você fez tocar música! Escute… Está ouvindo? Vamos girar a bola de novo.”

● Bola: coloque ele sobre a bola grande, e empurre para frente e para tras: exercicio corporal.

Essas são as atividades do momento! Se voce fizer outras atividades legais com o seu bebe me fale nos comentarios, eu amo essas dicas! Dica boa é dica compartilhada, rs.

Obrigada gente! Até a próxima!

Brincadeiras Pedagogia 29 jan, 2017

Conhecendo as cores.


Boa tarde gente!
Hoje é sábado e o dia oficial que eu apresento pro Mudi alguma atividade diferente! Na última semana comecei a introduzir cores pra ele!
A verdade é que cores parecem ser fácil de aprender, mas necessita r uma metodologia especial para que a aprendizagem seja de fato efetiva e rápida.
Se você apresentar pro seu filho a cor branca mostrando um coelho, ele vai associar o nome ‘branco’ ao coelho, e não a cor de fato, ja que esta é abstatra.

Uma dica é apresentar vários objetos da mesma cor juntos, e falar a cor. Outra dica é apresentar 2 cores ou no máximo 4 de cada vez, isso facilita a distinção das cores.
Separei 3 das brincadeiras que fiz.

A primeira é com uma caixa de papelão com rasguinhos para colocar botões. Pinte cada buraco de uma cor e deixe explorar explicando onde por cada botão. Tambem usei uma bola e um livro de cores para ele colocar os botoes de acordo com as cores corretas.

20170123_122258

A segunda é agrupar objetos da mesma cor, e deixa-lo explorar. Eles são mais espertos do que imaginamos e percebem a semelhança e diferença sem precisarmos interferir muito.

20170123_175350

A pirâmide de cores também é ótima, trbalhamos as cores e tamanhos em uma só atividade.

20170124_180017

Também usamos baloes e adesivos. Pedi para ele colar os adesivos nas cores que eu escolhia de balão. Por exemplo: coloca esse adesivo no balão vermelho?

20170123_181208

Bom, foram essas as atividades para a introdução, vou repetir elas essa semana para fixar melhor, e depois vamos criando novas!

Beijos!

Brincadeiras Pedagogia 15 jan, 2017

Atividades sensoriais – 18 meses


Muito se fala em estimular a criança na primeira infância, mas qual é a real importância? Segundo Piaget (a pedagoga citando haha) as crianças precisam explorar, experimentar e receber informações de volta (feedback) sobre a atividade, ações e reações.

Com as atividades sensoriais, as crianças conseguem explorar o mundo com os seus próprios sentidos (olfato, tato, paladar, audição e visão). As experiências e vivências sensoriais são “alimento” para o cérebro, que tem a função de “organizar as sensações do próprio corpo e do mundo, de forma a ser possível o uso eficiente do corpo no ambiente” (AYRES, 1972).

Os estímulos sensoriais apresentados à criança desde cedo são como as ferramentas mentais que ela terá para usar no futuro. Crianças precisam de espaço para se movimentar (sem acessórios com restrições de mobilidade, tais como cercadinhos e andadores); oportunidades de explorar objetos sozinhas com as mãos (sim, os armários de panelas e potes na cozinha são um excelente passa-tempo!) e também chance de se expressar e comunicar.

O legal da atividade sensorial é que podemos fazer em qualquer lugar que haja objetos que podem ser tocados e sentidos de alguma forma, ou seja, com qualquer coisa que te der na telha, sem precisar gastar dinheiro ou ter que sair de casa pra comprar. Usando a criatividade podemos criar atividades incríveis. Aqui vai algumas das atividades que eu fiz com o Mudi nas últimas semanas:

atividade sensoral3

WaterBalls! Esse é um dos ingredientes para as atividades sensoriais que eu mais indico, alem de ser baratinho, é muito divertido e da pra fazer diversas atividades com elas! São bolinhas de água. Na brincadeira da foto fizemos transferencias com tesoura de bola! Rendeu 30 minutos de exploração.

 

atividade sensorial1

 

Transferencias de grãos. Na atividade proposta por mim, era pra ele tentar separar os macarrões do feijão, o que ocorreu de fato, durante um minuto! Depois pegou a brincadeira pra ele, e mostrando quem é que manda, até comeu macarrão cru e transferiu da maneira dele, com as não e tudo misturado. Não posso dizer que não deu certo por que deu sim, só que da maneira dele. Cada coisa no seu tempo, respeitando as escolhas das crianças pra não ter estresse.

 

atividade sensorial2

Pintando com tinta guache e rolos de espuma.

Essa atividade rendeu uma hora, e ele acabou pintando mais ele do que os bonequinhos de madeira. Misturou tinta, pintou o tapete, a perna e ainda tomou banho na torneira do quintal! Não se intimide pela bagunça, reserve um tapete para a sujeira e no corpo, nada que um banho não resolva!

 

Espero que tenham gostado! Beijos!

Dicas Pedagogia 14 out, 2016

A a importância da rotina


Bom noite pessoal!

Hoje vim escrever sobre o que andou acontecendo com o Mudi nesses últimos dias. Ele acabou de completar 17 meses, e esta uma delicia! Ja entende o que a gente fala, ja faz dancinha fofa, esta com um vocabulário de mais ou menos 8 palavrinhas. Junto com esse tanto de novidades, veio também a personalidade forte! Ja esta cheio de vontades, e quando contrariado, ja sabe muito bem se expressar, só que como ainda não sabe falar, vem as temidas birras.

Como ele ja ta maiorzinho, deixei de lado um grande aliado meu desde sempre: a rotina. Como estava de mudança, gravidez e pós graduação, e ele ja aguentava mais tempo acordado, comecei a trocar alguns horários. E comecei a perceber um comportamento diferente do Mudi, ele não estava mais caminho como era, ficava nervoso com mais facilidade, e quando chegou a temida agressividade eu parei pra pensar onde eu estava errando, e logo notei: a rotina não estava tão fixa, e precisava voltar a estar!

Essa semana voltei a fazer tudo certinho, com horários para ir ao mercado, para acordar o Mudi, do almoço e da janta, dos banhos, leitura e brincadeiras! Tudo organizado novamente!

Muitas vezes, nós, adultos, sentimos necessidade de quebrar a rotina, variar o nosso dia a dia, fazer tudo diferente, pois nos entediamos com as repetições. Com as crianças pequenas, acontece justamente o contrário! As repetições são muito importantes para que elas consigam lidar com o desconhecido.

Da mesma forma, para os pais, quanto mais a vidinha do filho estiver organizada, melhor! Vera Tschiptschin Francisco – psicanalista, pedagoga e membro-fundadora da Gesto Psicanálise – explica que o “o bebê e a criança pequena vivem uma certa fragmentação interna. Cada sentimento é muito intenso, por exemplo, a sensação de fome é uma sensação avassaladora. Por isso, garantir um tanto de cadência, de ritmo, de previsibilidade e de continuidade àquilo que já sentiu antes, àquilo que se repete, frente a toda surpresa inerente ao desenvolvimento é fundamental”. Ressalta também a importância da rotina para a mãe: “a rotina acalma e diminui a angústia da mãe, que aperfeiçoa o contato e passa a se comunicar com bebê e com a criança pequena muito melhor”.

Gente! Ema dois dias que eu fixei novamente os horários, Mudi é outra criança, ou melhor, a criança que sempre foi! Um amor, parou de ficar chorando sem motivos, muito menos irritado e com muita disposição para as nossas atividades diárias!

Vim escrever aqui por que se você mamãe esta com um bebe irritado por ai, a rotina pode ser a solução! Não deixem de prestar atenção nos comportamentos das crianças, embora eles ainda não saibam falar, se a gente observar bem, vamos saber resolver!

Beijos!

 

 

Carima

postado por

Carima

Brincadeiras Dicas Pedagogia 09 set, 2016

Massinha comestível – 1 ano


Oi gente! Que tal preparar uma atividade divertidíssima para o fim de semana? Criança ama massinha, certo? Então vamos preparar uma comestível para os pequeninos que amam explorar com a boca, hahaha, e assim ficamos mais tranquilas!

Ingredientes:

  • Corante de alimentos -usei o em po, achei melhor!
  • 4 xícaras de farinha de trigo
  • 1 xícara de sal
  • 1 colher de oleo

massinha-1

massinha-2

massinha-3

massinha-4

massinha-5

massinha-6

Junte os ingredientes e misture igual massa, e tcharans!

massinha-7

massinha-8

massinha-10

massinha-11

massinha-12

O bom da massinha é que dura vários e vários dias: ate o seu filho decidir misturar e despedaçar pela casa toda, hahaha mas é super divertido! Espero que gostem!

Beijos!

Brincadeiras Dicas Pedagogia 08 set, 2016

A importancia de brincar ao ar livre!


Oi gente!

Não é surpresa pra ninguém a importância de deixar a criança livre, pra explorar novos ares, diante de um mundo tão gigante como este! Há inúmeros estudos sobre o tema que comprovam os benefícios de se deixar as crianças brincarem ao ar livre. Uma pesquisa da Universidade de Regina, no Canadá, acompanhou 306 crianças e jovens para medir o tempo que cada um deles passava brincando do lado de fora. Concluíram que aqueles que gastavam mais horas ao ar livre não só estavam em melhor forma física como eram 3 vezes mais propensos a atender às diretrizes de atividades físicas diárias.

campinas-3

 Quais sao as vantagens de brincar la fora?

A lista é interminável!

  • Espaço para a criança correr, a torna mais ativa e pre disposta a fazer suas outras atividades diárias;
  • As crianças que brincam ao ar livre desenvolve sua autonomia, portanto elas costumam ser mais independentes, e o adulto deve dar espaço para a criança resolver seus próprios ‘problemas’;
  • O contato com a natureza – esses são os momentos em que elas podem interagir com o espaço natural. É brincando ao ar livre que as crianças vão reconhecer diferentes texturas (areia, barro, água, grama), experimentar e identificar horas do dia (manhã, tarde ou noite) por causa da luz, encontrar cheiros e sensações desconhecidas.
  • A saúde – a princípio, brincar do lado de fora faz com que as crianças desenvolvam anticorpos e se tornem mais resistentes a doenças. A luz do sol também é necessária para o crescimento saudável. Contudo, outro ponto positivo é que elas passem a conhecer seus corpos e saibam quando estão bem (ao arranhar um joelho, por exemplo), ou quando de fato precisam de ajuda (quando sofrem um ferimento mais sério).
  • A criatividade – levar as crianças para o pátio sem brinquedos pré-fabricados permite que elas inventem as próprias brincadeiras e coloquem a imaginação para funcionar. Por estarem em um ambiente em que nem tudo é controlado, elas aprendem a lidar com imprevistos e elaborar soluções;

Portanto, sempre que tiver oportunidade, deixe o seu filo brincar la fora, seja em um parque, no condomínio do prédio, no quintal, no jardim, na praia, no barro. De preferencia em lugar que tenha contato com a natureza, animais, arvores, frutinhas.

Espero que tenham gostado do post!

Beijos!

 

Carima Orra • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por